Como escrever artigos otimizados para SEO Lightbox Available

Aprenda a escrever artigos otimizados para SEO

Crie conteúdo online relevante e aprenda a atrair audiência orgânica para seu site, investindo muito pouco ou quase nada

Introdução ao SEO

Escrever artigos otimizados para SEO (Search Engine Optimization) está diretamente relacionado à forma como as pessoas buscam por informações hoje em dia, na internet – 97% delas no Google.

Para produzir conteúdo pensando para SEO, você precisa entender o momento zero na cabeça do consumidor. Veja este guia feito pelo Google, aqui.

A partir daí, de forma simplificada, significa que você deverá escrever conteúdos levando em consideração os termos que as pessoas utilizariam para realizar pesquisas relacionadas ao seu negócio na internet, para entregar material relevante e ajustado às suas necessidades.

A ideia é conseguir match entre os termos de busca e os termos utilizados no conteúdo distribuído no site da sua empresa, recorrentemente, no blog.

Mas todo o conteúdo do seu site, seja ele de abas ou categorias, também deve ser escrito para SEO. Assim, expressões facilmente relacionadas ao seu negócio podem servir de ponte para trazer mais visitantes para o endereço, sem você gastar nada para isso.

Sistema de buscas do Google

Entenda o sistema de buscas do Google e escreva para SEO

Para confirmar se as páginas do seu site ou blog já estão indexados pelo sistema de buscas do Google, você deve:

Escrever: ‘site:www.seudomínio.com.br’ ou ‘site:seudomínio.com.br’, para encontrar os endereços sem www, + a palavra chave para saber se os motores do Google já leem seu site e conteúdo.

Para aparecer na primeira página do Google, sem digitar seu domínio na área de buscas, a palavra-chave deve ser muito bem explorada, estar otimizada e com volume suficiente para o bom rankeamento do seu conteúdo.

Para facilitar o trabalho dos motores de busca, o site deve estar cadastrado no sitemap, padrão já aplicado às páginas WordPress. Para verificar o conteúdo desabilitado ou habilitado para ser indexado, verifique os endereços disallow e allow, respectivamente, em: www.seudomínio.com.br/robots.txt

Você deverá fazer o upload do sitemap.xml no seu site. Abra o painel de controles do site, busque por public HTML e suba o arquivo para esta pasta aberta.

Depois, informe ao Google a lugar onde tem o sitemap.xml. Cadastre o link no Google Console. Normalmente, seudomínio.com.br/sitemap.xml

Assim, você verá e decidirá o que o Google e os outros motores devem ou não mostrar nos seus resultados de buscas na internet.

Para simular os sistemas de buscas: seo-browser.com; web-sniffer.net

Para expiar a concorrência: ver palavras relacionadas aos concorrentes: www.alexa.com. Lá, você encontra outros serviços, também com sete dias grátis para teste.

Para saber as expressões que geram tráfego para seu site: www.semrush.com. Talvez valha a pena pensar conteúdos para o blog e trabalhar melhor as palavras e expressões que mais trazem visitas para seu site.

Verifique se tudo está sendo bem entendido pelos buscadores da internet, como você planejou. Caso não, você precisará otimizar os conteúdos para aparecer na primeira página do Google e de outros motores de buscas.

Como escrever artigos otimizados para SEO

Para escrever artigos otimizados para SEO, você tem uma lista de tarefas a seguir. Veja as principais na sequência.

Estude bem a palavras-chave para seus posts no Ubersuggest, Keywordtool ou Keyword Planner, dentro Google Adwords: é importante que o título seja uma frase que o usuário procuraria no Google (máximo de 64 caracteres, palavras-chave à esquerda).

As duas primeiras ferramentas mostram, a partir de um termo-chave, qual seria a palavra-chave long tail ideal para posicionar seu conteúdo.

Já o Planner do Google mostra o volume de buscas para o termo pesquisado, mais as keywords principais relacionadas à palavra-chave.

O Google Trends é grátis para quem tem campanha ativa no Google Adwords e pode ser uma fonte de consulta sobre o que tem sido buscado na internet. Assim, você pode ter insights para a produção de conteúdos, para tentar surfar na esteira das tendências e conquistar audiência.

Conteúdo otimizado para SEO

Escolha a palavra-chave certa

Produza textos com palavras e expressões-chave que traduzam o conteúdo da página aos motores de busca, neste post: como escrever artigos otimizados para SEO.

Dica importante: escolha uma palavra-chave long tail, aquela mais comprida e específica e menos disputada por grandes sites, invista seu talento para a palavra-chave certa. Use apenas uma expressão e tente acertar o alvo na mosca. Verifique os resultados.

Palavras-chave long tail têm, em média, quatro palavras ou de 11 a 20 caracteres.

Dicas para usar os serviços do Google

  • Filtre o resultado de buscas por região e keyword
  • Enrijeça os resultados: use aspas; sinais de + e -, para somar ou subtrair resultados
  • Acione categorias para ampliar filtros
  • Marque apenas categorias e elimine filtros para descobrir os termos mais buscados por segmento

Note que: Artigos e pronomes mudam os resultados, reflita sobre o melhor termo para rankear.

Reflita sobre a palavra-chave

Volume de buscas

A palavra-chave tem alto, médio ou baixo volume de buscas? Reflita sobre seus objetivos. Apostar em volumes baixos para quem precisa de fluxo é o mesmo que abrir uma lavanderia onde pouca gente usa roupas. Seu site viverá às moscas, baixando sua relevância no Google e dificultando que você tenha autoridade para rankear outros conteúdos.

Dificuldade para rankear

Vale a pena o esforço para rankear aquele conteúdo? Como é a disputa pela palavra-chave que descreve seu texto? Lembre-se, as pessoas tendem a clicar nos seis primeiros sites listados no Google. Eles recebem 70% dos cliques.

Voltando ao volume de buscas, caso a palavra-chave tenha apenas de 10 a 100 procuras por mês, e você não for um dos seis primeiros sites, você estará brigando por algo entre 3 e 30 pessoas por mês, e essa audiência cai drasticamente caso não tenha alcançado nem a primeira página. Ixi!

Combine essa informação com o item logo abaixo.

Facilidade de conversão

O conteúdo faz parte de qual etapa dentro do funil? Topo, meio ou fundo? Lembrando que no topo e no meio do funil, dificilmente, o visitante vai se tornar cliente.

Nessas duas etapas, os conteúdos são, respectivamente, muito amplos e amplos, funcionam apenas como isca da audiência para o site.

Só no fundo do funil o conteúdo é ligado ao consumo.

Em qual etapa está o conteúdo que você está investindo estudo para encontrar a palavra-chave ideal? Vale a pena o esforço?

Posicionamento do site

Por fim, antes de decidir escrever ou não, o conteúdo e a palavra-chave têm a ver com os objetivos que você tem para o posicionamento do site?

Confirme se escolheu bem a palavra-chave

  1. As pessoas procurariam pela informação desta forma? Lembre-se do momento zero na cabeça do consumidor.
  2. A palavra-chave faz sentido como pergunta/dúvida e como afirmação? O alcance pode ser mais amplo.
  3. Posso oferecer uma resposta para esta dúvida/afirmação com o meu conteúdo? A resposta tem que ser sim, você não quer impactar seu bounce rate negativamente. Pessoas que entram e logo saem do seu site, diminuindo sua relevancia nos motores de buscas.

Já pode começar a criar o esqueleto do seu conteúdo. Lembre-se de tratar o interesse das pessoas em relação ao termo de busca. Sempre e onde possível.

Otimização obrigatória para SEO

O ideal é que a palavra-chave apareça em pelo menos 2% do conteúdo, mas não force a barra.

Não exagere na repetição, o Google entende isso como tentativa fraudulenta para ser ranqueado. Use e abuse dos sinônimos para deixar o texto mais fluído e menos repetitivo.

Coloque a palavra-chave também no título para SEO, tittle tag, no head 1, H1, e na meta descrition, para que ela seja negritada nos resultados de buscas, facilitando a atração do clique.

Estude promover o post para atrair mais audiência. Mas, antes de promover seu conteúdo, verifique a dificuldade para ser relacionado aos termos principais do conteúdo na primeira página de resultados do Google.

Tenha título e URL diferentes

O título é um dos principais campos de verificação do Google. Apesar de a URL não ser mais tão relevante, utilize termos diferentes para os dois. Aposte nos sinônimos e variações das palavras-chave.

Exemplo: Como ter sucesso no Facebook; URL: dicas-para-ser-bem-sucedido-Facebook.

Aposte em URLs curtas. Elas ajudam a mostrar ao visitante o conteúdo do post ou página.

Dicas extras:

  • Cite marcas concorrentes no texto pode ajudar a maximizar o alcance entre os possíveis clientes do segmento.
  • Utilize o ano em exercício no título pode ajudar a melhorar a posição no ranking de resultados: ex.: 2017.

Crie entretítulos

Além de facilitar a vida do leitor, os entretítulos são extremamente relevantes para o Google avaliar do que se trata aquele conteúdo publicado no seu site/blog.

As marcações H1, H2, H3 etc. permitem ao produtor de conteúdo indicar a hierarquia das informações dentro do texto. Assim, H3 é um desdobramento de H2, e H2 é um desdobramento de H1. H1 é o principal desdobramento do título.

Dica extra: procure ter apenas um H1 por artigo ou Página e a palavra-chave deve estar lá.

Personalize a meta description

Meta description é aquele texto que aparece abaixo do título da página + URL nos resultados de buscas do Google.

Este texto não influencia no ranking de SEO, mas ajuda a convencer a audiência a clicar e abrir o conteúdo: veja, acompanhe, descubra, confirme etc., são verbos de ação que devem ser frequentemente utilizados. Máximo de 153 caracteres.

Caso você não escreva a meta description, os motores de buscas, comumente, utilizam as primeiras palavras do post ou página no seu lugar, o que não é o mais indicado.

Aposte em links internos

Mantenha o visitante no seu site. Com os links internos, ele interage mais com o endereço e melhora seu indicador bounce rate, melhorando sua posição nos resultados de buscas.

Para links internos, posicione-os sobre palavras e expressões que você esteja disputando para aquele conteúdo do blog post, por exemplo. Isso ajuda a dar mais força e relevância ao associar aquele outro conteúdo à palavra ou expressão que recebeu o link.

Evite usar mais de quatro links por post, mesmo que sejam apenas internos.

Dedique tempo às imagens

Dicas para a utilização de imagens nos seus conteúdos

  • Investir em “novas”, mesmo que tenham apenas fundos diferentes. Isso faz diferença para o Google Images
  • Deixá-las clicáveis
  • Abusar de infográficos, mas também divulgar seu conteúdo em texto, para que possa ser encontrado pelos motores de busca
  • Atenção ao tamanho da imagem. Mínimo para leitura do Google: 150 x 150 pixels. Mínimo para ser listada no Google Images, 350 x 350 pixels
  • Preencher o ALT das imagens; incluir legenda e habilitar o preview text delas = title. Para dizer ao Google e outros motores o seu conteúdo. Use a palavra-chave nos dois campos.

O último item da lista é o mais importante, mas você não deve negligenciar os demais.

Invista em Link building

Sites que linkam seu endereço ou conteúdo, mas habilitam a tag ‘no follow’ no robots.txt, não passam força de link, apenas deixam disponível para o leitor. E muitos blogs fazem isso.

Para criar relacionamento com outras páginas e endereços não habilite esta tag.

Posicionar o link em ‘clique aqui’ ou ‘aqui’ é muito utilizado e já rankeia para endereços mais fortes e relevantes para o Google, mas facilita a vida do usuário. No final do texto, talvez valha utilizar essas expressões para algum produto, tentando a conversão.

Busque parceria com outros endereços para trocar publicação de conteúdo e construir sua rede de links.

Lembre-se: o Google dá força diferente aos links recebidos, a partir da relevância de quem linka para seu site. Então, nada de usar estratégias espúrias para conquistar links.

Saiba quem linkou para o seu site

Existem ferramentas para verificar quem te deu link: AHRefes/Raven.

Caso valha a pena, faça contato com quem te linkou para criar relacionamento.

Separe os idiomas

Separe todo o conteúdo do site por meio da estrutura seudimínio.com.br/es; seudimínio.com.br/in; seudimínio.com.br/pt; isso evita confusão no sistema de buscas do Google. Caso você tenho o endereço em diversos idiomas.

Dicas para aumentar sua relevância digital

  • Invista em conteúdos autorais para aumentar as chances de ser linkado

Para começar, incentive as áreas técnicas da empresa a produzirem esses textos. É uma boa forma de garantir seu ineditismo, pode ser relacionado à atividade diária do setor, para facilitar sua redação.

  • Capriche na abertura, convença o visitante a se envolver com seu conteúdo.
  • Aposte em infográficos

Passe os textos técnicos para o setor de Marketing avaliar e/ou adequar suas linguagens, além de estudar a possibilidade de inserir gráficos para organizar melhor o conteúdo do texto e aumentar as chances de receber links.

  • Inclua widgets nos seus conteúdos para melhorar a experiência do leitor
  • Use o Google Alerts para monitorar o que falam sobre seu segmento, para ter insights de produção de conteúdo
  • Verifique as tendências: trends do Google e das redes sociais
  • Visite fóruns digitais e participe de discussões. Veja se tem algum link do seu site que possa ajudar alguém e aumente as chances de ele se espalhar por outros endereços
  • Relacione-se com blogueiros que escrevem sobre sua área de atuação
  • Divulgue seus links de blog posts nas redes sociais, ajude a conquistar mais audiência e, com isso, relevância para a página. LinkedIn: as comunidades ainda deixam passar links sem marcar ‘no follow’

Mensuração dos resultados

Acompanhe os resultados da sua estratégia de SEO

Para não misturar as métricas de tráfego interno e externo, caso seja relevante, separe os IP’s da sua empresa para exclusão ou bloqueio no monitoramento.

Veja o tempo de carregamento/downtime do seu site no Page Speed do Google. A ferramenta analisa o site e ainda indica possíveis otimizações. Site lento não fica na primeira página do Google.

O canal W3 também avalia a qualidade do seu site, assim como o Page Speed. Esta é outra forma de testar o bom funcionamento do endereço. Liste os problemas encontrados por esses sites e avise o seu programador ou tente ajuda com o time de suporte técnico da hospedagem contratada, caso você esteja fazendo o trabalho sozinho.

No Google Analytics estão as URLs que trouxeram mais visitas para o site. Verifique os conteúdos iscas que funcionam para o endereço e decida se investir em seus desdobramentos.

Considerações finais

  • SEO é gratuito, mas quando você tem um bom conteúdo no blog, por exemplo, pode ser interessante investir verba na sua promoção, para aumentar a força do endereço para o termo de busca que você está disputando ou deseja ver relacionado ao seu negócio.
  • Abra o Adwords AdPreview, ele mostra quantos anunciantes existem/investem naquela palavra-chave. Se você estiver logado no Adwords, ele apresenta um alerta explicando porque seu anuncio não aparece na primeira página.
  • Escrever artigos otimizados para SEO pode impactar no médio e longo prazos seu Page Ranking, atributo que mede a popularidade dos sites, blogs etc. O que o Google usa para decidir o que mostrar nos resultados de buscas.
  • Não adie sua incursão no tema, publique logo seu conteúdo, depois você otimiza ele até alcançar a primeira página do Google, aplicando dicas de vários sites. Até funcionar.
  • Mas, seu Page Ranking, também, pode ser fundamental para você aparecer na primeira página do Google. Por isso, o ideal é combinar a estratégia de otimização para SEO com a de construção de link building, para alavancar sua autoridade e relevância na internet.
MarceloEmpreenderjunho 6, 20170 commentsblog, conteúdo, Google, SEO, site.

Compartilhe este post:

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *